cerrar
cerrar

caf.com / notícias / como desenvolver de forma mais rápida patentes que promovam a inovação e a competitividade?

notícias

TwitterFacebookGoogle plusLinkedInYoutubeRSSSuscribe
11 de junho de 2018Como desenvolver de forma mais rápida patentes que promovam a inovação e a competitividade?
1img - Como desenvolver de forma mais rápida patentes que promovam a inovação e a competitividade?

O curso on-line, aberto e gratuito, terá início em 26 de junho. Serão fornecidas ferramentas para que os participantes possam criar conceitos tecnológicos patenteáveis com alto impacto social e produtivo na América Latina e no Caribe. Com duração de quatro semanas, o programa está dividido em quatro módulos teóricos e práticos.

comparteimg - Twitterimg - Facebookimg - GooglePlusimg - LinkedInimg - Whatsapp

Estão abertas, até 25 de junho, as inscrições para o MOOC (curso massivo, aberto e gratuito) sobre o Método CAF para Acelerar o Desenvolvimento de Patentes, no qual funcionários públicos, empreendedores, estudantes universitários e interessados em geral aprenderão habilidades práticas para redigir o relatório descritivo de uma patente, incluindo desenhos e gerenciamento de bancos de dados, como o Google Patents, e explorarão as bases do Gabinete de Marcas e Patentes dos Estados Unidos, com o objetivo de realizar a busca por inovações e conhecer uma estratégia de patenteamento eficiente, que lhes permitirá otimizar tempo e recursos, contribuindo para a competitividade e produtividade da América Latina e do Caribe.

Este curso foi desenvolvido por especialistas do CAF -banco de desenvolvimento da América Latina, de acordo com o Método CAF para Acelerar o Desenvolvimento de Patentes, e será apresentado no formato de workshops presenciais em países como Panamá, Paraguai, Colômbia, Equador, Peru e México. O Método CAF busca desmistificar o processo criativo relacionado ao desenvolvimento de tecnologias patenteáveis, cobrindo aspectos que vão desde políticas públicas e estratégias para desenvolver tecnologias patenteáveis, passando por métodos de conceitualização rápida e pela busca por inovação, até o registro de patentes, incluindo figuras e gráficos.

Um exemplo do impacto dessa iniciativa é a Universidade Tecnológica do Panamá, que se tornou a primeira instituição de ensino superior ibero-americana a figurar entre as primeiras 50 universidades do mundo em solicitações por meio do Tratado de Cooperação em Matéria de Patentes (PCT), com 51 conceitos apresentados por meio do PCT internacional, em 2016. Além disso, com apenas dois workshops da iniciativa, em 2016, foi possível ampliar em 300% as solicitações de patentes por meio do PCT do Panamá, na comparação com 2015, posicionando-o como o primeiro país latino-americano em geração de solicitações via PCT por milhão de habitantes.

O curso está dividido em quatro módulos teórico-práticos que aportam as ferramentas necessárias para conceituar ideias com potencial comercial, avaliar os critérios de patenteabilidade e traduzir o conceito em um documento que sirva de matéria-prima na hora de apresentar solicitações a órgãos competentes. Os módulos são: “Por que patentear?”; “Tecnologias patenteáveis: conceituação eficiente”; “Comprovando a inovação do nosso conceito”; e “Como desenvolver patentes tecnológicas?”.

A abordagem é muito prática e dinâmica, graças à combinação de textos didáticos, orientações, exemplos, vídeos, casos práticos, exercícios, leituras recomendadas e avaliações. O curso pode ser concluído com apenas 24 horas de estudo, compatibilizando-o com a prática profissional.

Ao concluir o curso, mediante 75% de aproveitamento em cada atividade obrigatória, o aluno recebe um certificado gratuito de participação. Para receber um certificado de aproveitamento superior, o aluno deverá obter 100% de aprovação em todas as atividades obrigatórias e pagar uma taxa de 40 euros.

Mais informações sobre o curso e  sobre como fazer sua inscrição estão disponíveis em nossa seção de convocatórias.

TwitterFacebookGoogle plusLinkedInYoutubeRSSSuscribe